segunda-feira, dezembro 15, 2008

PRESENTES

Estamos chegando rapidamente às festas de final de ano. O ano velho dá lugar ao novo e com ele surge a expectativa de muitas melhorias. É como se fosse um período renovador. Ficamos preocupados e ansiosos para presentear as pessoas que amamos família e amigos. Mas que presente será o ideal para minha mãe, meu pai, meu irmão, meus amigos? Do que eles realmente precisam? Talvez minha mãe precise de um novo casaco, um sapato. Meu pai, um novo chapéu, minha irmã, um CD da banda de roque que ela mais gosta. E meus amigos? O que posso oferecer a eles. Dúvidas e dúvidas. Enquanto isso esquecemos que os presentes materiais não deveriam ser prioridades e nem a preocupação com as festas de final de ano.
Quantas vezes sua mãe fez um novo tipo de comida, colocou o prato na sua frente orgulhosa e recebeu um elogio. Quando você mostrou satisfação com o novo alimento, você a presenteou. Quantas vezes seu pai falou sobre você com amigos e parentes. Do quanto você era, é, especial. Ambos foram presenteados. Quantas vezes você, ficou triste e solitário e sempre vinha um amigo para ficar ao seu lado. Mais um presente mútuo. E a pessoa especial que você ama, além de dizer o quanto significa na sua vida, quantas vezes você fez com que ela realmente se sentisse importante. Mais um presente mútuo. Então, se você contar todas as vezes que deu valor as pessoas, que se sentiu valorizado por elas, foram ocasiões de presentes mútuos. Todas essas reflexões me ocorreram hoje porque um amigo querido, escritor Lenine de Carvalho, que em duas semanas me deu muitos presentes. Enviou-me poesias, livros, histórias de amor, lições de vida proporcionada por seus animais. Compartilhou comigo o amor por sua esposa, me mostrando a beleza e o companheirismo que não diminui com o passar dos anos. Mas olhando com clareza percebo que também tenho recebido muitos outros presentes de todas as direções. Recebo respeito, compreensão, companheirismo, elogios, recomendações, preocupações. Sou privilegiada, assim como você. Talvez, acostumados ao material imediato, não percebamos as dádivas que recebemos. Eu lembro o presente mais lindo que ganhei até hoje. Foi uma bola. Era um natal triste. Meu pai doente. As crianças, minhas vizinhas contentes por receberem presentes, muitos e eu ali, sem nenhum. Meu pai e minha mãe conversaram e meu pai foi caminhando passo a passo até o supermercado e voltou me trazendo uma bola. Eles tinham pouco dinheiro, mas mesmo assim era importante para eles que eu estivesse feliz. Quando meu pai me deu a bola, o mundo se abriu aos meus olhos, um momento de muita felicidade. Esse mês fará oito anos que meu pai morreu e no próximo mês fará 16 anos da morte da minha mãe. Na época da morte de ambos me senti triste e sozinha, eu uma filha única, mas a natureza é perfeita. Recebi o maior regalo de todos, o amor e carinho de todos os meus amigos, pois jamais permitiram que eu estivesse só. O verdadeiro presente é aquele que vem do nosso coração e é isso que podemos ofertar com sinceridade há todas as pessoas que amamos.

5 comentários:

marlene disse...

MINHA AMIGA EU LI SEU DEPOIMENTO E REALMENTE E ISTO MESMO QUE,ACONTECE CONOSCO . VOCE ESTA DE PARABENS AMEI TER LIDO SEU DOCUMENTARIO BJOSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSS DE UMA AMIGAAAAAAAAAAAAAAAAA

Regina disse...

Amei, como sempre amo, tudo que escreves.Tens uma forma de expressao que sempre aguça nossa vontade de ler...as vezes ficamos um pouco triste, outras nos leva bem longe no tempo, enfim, é muito bom ter próximo de nós uma pessoa como tu.Com todo meu carinho, amiga, votos que continues sempre escrevendo e nos deliciando com tuas palavras.Regina

Flavio disse...

MEU ANJO,ESTÁ DE PARABÉNS PELA REFLEXÃO,GOSTEI MUITO,ESPERO QUE POSSA NOS DAR SEMPRE UMA LEITURA QUE INVADA AS NOSSAS ALMAS E FAÇAM AS PESSOAS REFLETIREM QUANTO É BOM EXPRESSAR O QUE SENTIMOS POR NOSSOS FAMILIARES E AMIGOS.
FICA COM DEUS,UM BEIJOP NO SEU CORAÇÃO !!!!!
FLÁVIO...

Dalva Agne Lynch disse...

então receba outro presente neste Natal, bela: uma nova amiga.
Muito amor pra vc!
Dalva Agne Lynch
www.dalvalynch.net

Elaine Bueno disse...

Que belíssimo trabalho literário o seu Fátima. Parabéns!
Um trabalho que vai do materialismo ao materialismo, nos levando a refletir a importância do amor em tudo que fazemos.
O material nos é necessário, porém o amor nos é indispensável.
Com amor e por amor, o valor do material se torna segundário.
Obrigada amiga, pelo presente de Natal que ora me ofereceu.
Um feliz e abençoado dia para você!