terça-feira, dezembro 30, 2008

QUE VENHA 2009


Terminamos 2008 com notícias que abalaram todo planeta. Morte, destruição, crise financeira. Com a virada de ano essas notícias não serão apagadas dos noticiários, talvez virem arquivos velhos e gastos. Eu desejo a todos meus amigos que no próximo ano lutem muito. Lutem pela sua felicidade, lutem pela melhoria de sua situação financeira. Lutem pelos seus amores, mas acima de tudo, lutem para combater seus medos, seus temores, suas tristezas. Lutem para descobrir a raiz de todo e qualquer problema que lhes impeçam de serem pessoas felizes. Lutem por um mundo melhor. Não lutem contra a guerra, lutem pela paz. Eu desejo sinceramente que em 2009 todos possam olhar o mundo com mais carinho. Que saibamos que ao destruirmos o meio ambiente, estaremos destruindo futuras gerações. Estaremos destruindo a vida de nossos netos, bisnetos, tataranetos e assim sucessivamente. Espero que no próximo ano saibamos que o difícil se faz agora e o impossível um pouquinho depois. Espero sinceramente que a luz do entendimento se faça presente em todos os corações. Espero que terminem a luta incessante por um pedaço de terra. Eu desejo do fundo do coração que todos, todos entendam que o coração é o verdadeiro caminho da verdade, não o dinheiro e o poder, mas o afeto e amor. Gostaria de dizer ao mundo que nossos filhos precisam mais de nós e menos do tênis da moda ou a calça de grife. Gostaria de dizer a todos que a paz, a compreensão, a fé e a construção imediata de um mundo melhor poderia ser a grande prioridade para 2009. Eu desejo a todos meus amigos, que brilhem, amem, e que trabalhem para fazer desse mundo, um lugar encantado de se viver.
E que venha 2009.

segunda-feira, dezembro 15, 2008

PRESENTES

Estamos chegando rapidamente às festas de final de ano. O ano velho dá lugar ao novo e com ele surge a expectativa de muitas melhorias. É como se fosse um período renovador. Ficamos preocupados e ansiosos para presentear as pessoas que amamos família e amigos. Mas que presente será o ideal para minha mãe, meu pai, meu irmão, meus amigos? Do que eles realmente precisam? Talvez minha mãe precise de um novo casaco, um sapato. Meu pai, um novo chapéu, minha irmã, um CD da banda de roque que ela mais gosta. E meus amigos? O que posso oferecer a eles. Dúvidas e dúvidas. Enquanto isso esquecemos que os presentes materiais não deveriam ser prioridades e nem a preocupação com as festas de final de ano.
Quantas vezes sua mãe fez um novo tipo de comida, colocou o prato na sua frente orgulhosa e recebeu um elogio. Quando você mostrou satisfação com o novo alimento, você a presenteou. Quantas vezes seu pai falou sobre você com amigos e parentes. Do quanto você era, é, especial. Ambos foram presenteados. Quantas vezes você, ficou triste e solitário e sempre vinha um amigo para ficar ao seu lado. Mais um presente mútuo. E a pessoa especial que você ama, além de dizer o quanto significa na sua vida, quantas vezes você fez com que ela realmente se sentisse importante. Mais um presente mútuo. Então, se você contar todas as vezes que deu valor as pessoas, que se sentiu valorizado por elas, foram ocasiões de presentes mútuos. Todas essas reflexões me ocorreram hoje porque um amigo querido, escritor Lenine de Carvalho, que em duas semanas me deu muitos presentes. Enviou-me poesias, livros, histórias de amor, lições de vida proporcionada por seus animais. Compartilhou comigo o amor por sua esposa, me mostrando a beleza e o companheirismo que não diminui com o passar dos anos. Mas olhando com clareza percebo que também tenho recebido muitos outros presentes de todas as direções. Recebo respeito, compreensão, companheirismo, elogios, recomendações, preocupações. Sou privilegiada, assim como você. Talvez, acostumados ao material imediato, não percebamos as dádivas que recebemos. Eu lembro o presente mais lindo que ganhei até hoje. Foi uma bola. Era um natal triste. Meu pai doente. As crianças, minhas vizinhas contentes por receberem presentes, muitos e eu ali, sem nenhum. Meu pai e minha mãe conversaram e meu pai foi caminhando passo a passo até o supermercado e voltou me trazendo uma bola. Eles tinham pouco dinheiro, mas mesmo assim era importante para eles que eu estivesse feliz. Quando meu pai me deu a bola, o mundo se abriu aos meus olhos, um momento de muita felicidade. Esse mês fará oito anos que meu pai morreu e no próximo mês fará 16 anos da morte da minha mãe. Na época da morte de ambos me senti triste e sozinha, eu uma filha única, mas a natureza é perfeita. Recebi o maior regalo de todos, o amor e carinho de todos os meus amigos, pois jamais permitiram que eu estivesse só. O verdadeiro presente é aquele que vem do nosso coração e é isso que podemos ofertar com sinceridade há todas as pessoas que amamos.

terça-feira, dezembro 09, 2008

A EXPANSÃO DO AMOR E AS ENERGIAS DA CHAMA GÊMEA


Recebi essa mensagem de uma das comunidades que participo. Compartilho com todas as pessoas que percebem que a energia do planeta e dos indivíduos estão em mutação, e que assim buscam o conhecimento e o entendimento de seus verdadeiros propósitos aqui na terra.


"As Energias para Dezembro de 2008Arcanjo Miguel através de Celia FennQueridos, à medida que a velha realidade se esvai junto com seus velhos padrões medo e violência e carência, surge a Realidade da Nova Terra baseada nos modelos do Coração Sagrado, a Rosa das Energias da Chama Gêmea. Estão descobrindo como se alinhar com o Foco ou Centro de Energia que está em seus Corações e que se abre como uma Rosa e que contém a Céu e Terra junto com as “polaridades” Elétricas e Magnéticas das energias da Força de Deus. Estão descobrindo como mover-se com os potentes fluxos desta Força de Deus ou Inteligência Divina enquanto ela se move dentro de vocês. E estão aprendendo a experimentar a poderosa Magia criativa que há nesse Amor Profundo que corre por seus corações.Estão aprendendo a Expandir o Amor até ver que Tudo o que há em seu Campos, em sua Percepção, em sua Experiência, é um aspecto do Deus-em-Você que está pulsando e vibrando com o Desejo, o Amor e a Paixão da Energia da Fonte Divina. O Desejo de Ser, de se Tornar e de Experimentar Tudo o que Vocês podem Ser através das criações e manifestações de seu ser físico é uma expressão do Amor Divino da Força de Deus que está em seu interior. Estão aprendendo a sentir a vida com Amor e Gratidão, já que suas percepções passam para um foco melhor: vão aprendendo que vocês são Um no Amor de Deus, que são Amor Encarnado, a representação do Amor de Deus que caminha e respira. O Anjo Humano, unificado com Todas as Coisas na Consciência de Deus.Nestes momentos estão se tornando em parte da Canção da Harmonia.....a Canção do “Um”. E estão preparados para as expandidas aventuras cheias de Alegria, manifestando através da Rosa Sagrada, ou Modelo da Chama Gêmea da Consciência Divina para a realidade da Nova Terra. Neste processo de Consciência Superior, são capazes de ver Tudo o que Existe como expressões ou manifestações do “Amado”, do Amor de Deus que é a energia que os atrai de volta ao Coração de Deus. Vocês se tornam parte da profunda paixão do Amor Divino que flui através de todas as coisas. E, podem experimentar essa Alegria e esse Êxtase dentro de uma parceria no mundo material.Queridos, em 12 de Dezembro estarão no portal 12:12, o portal no Tempo/Espaço, a Terra passará por um alinhamento da Luz Cheia no qual a Lua Cheia estará em Gêmeos e o Sol em Sagitário. Gêmeos é a casa astrológica dos “Gêmeos”, a qual, na Nova Realidade, representa a energia da Chama Gêmea ou União Sagrada. Com o Sol no signo de Fogo da Paixão Espiritual representado por Sagitário, e a Lua na Casa da União Sagrada representada por Gêmeos, a fogosa paixão da União Sagrada se acenderá nos Corações daqueles que estão despertos para esse Amor, e os ajudará a Expandir esse Amor dentro de seu Campo de Percepção e Experiência. E estes se tornarão os Líderes do próximo ciclo da Evolução Consciente para aspectos mais profundos do Amor Divino e de sua expressão no Planeta.A energia seguirá a aumentar até em 21 de Dezembro, momento do Solstício Planetário, quando o Pólo Sul do Planeta, que representa a Polaridade Feminina da Terra, estará diretamente alinhado com o Centro Galáctico a 26 graus de Sagitário. O Centro Galáctico é o Coração da Galáxia, esse Espaço Sagrado no qual as energias da Galáxia se sustentam em União Sagrada. É o lugar a partir de onde flui a Unidade e a Harmonia. A Terra se alinhará com esses poderosos fluxos de Unicidade e Harmonia, e o Amor abrirá os Corações daqueles na Terra que estão preparados para receber a Canção da Unidade em seu Ser Central. A poderosa onda de Amor da Chama Gêmea que vão experimentar entre 12 e 21 de dezembro os “elevará” realmente para um novo nível de sua Experiência e de sua Percepção de si mesmos como Seres e Consciências Angélicas Humanas. O Amor da Chama Gêmea da Fonte acenderá o Amor da Chama Gêmea em seu interior, criando Milagres de Amor Compassivo que serão profundamente sentidos pelos que estiveram prontos a aceitar esta nova manifestação do Amor de Deus.As Energias de Dezembro de 2008A Lua Cheia será 12 de Dezembro e estará em Gêmeos, com o Sol em Sagitário. Como já assinalamos, este é um momento ideal para celebrar as energias da Chama Gêmea e a União Sagrada interior. Também será um bom momento para atrair esse Amor a sua manifestação como uma relação ou companheiro, se este for seu desejo. As sementes germinarão neste tempo de Amor e União tão poderoso; e o desejo em si mesmo trará sua expressão na realidade quando chegar a hora certa!O Solstício será em 21 de Dezembro; será o Solstício de inverno no Norte e o do Verão no Sul. Novamente será uma ocasião de poderosos alinhamentos com a Energia Feminina Divina e com a energia da União Sagrada interna.Em 25 de Dezembro será o tradicional Festival do Nascimento de Cristo, e como Trabalhadores da Luz que são, será um bom momento para celebrar o Nascimento da Luz da Consciência Crística mediante a chegada da Yeshua e Maria Madalena para manter a Estrela Dourada da União Sagrada e a impressão dessa “Estrela” como modelo do Matrimônio Sagrado no interior do campo energético do Planeta. Porque na verdade a “Estrela” Dourada que guiou aos Magos para Belém foi a Estrela Dourada da União Sagrada, criada pela União Sagrada dessas duas Almas do Raio Dourado como chamas as Gêmeas no interior do Campo Eterico do Planeta.O Sol entrará em Capricórnio em 22 de Dezembro; nessa mesma data haverá muitos planetas passando por Capricórnio. Há agora uma mudança geral de foco, de Sagitário, a casa do Fogo Espiritual, para Capricórnio, a casa da manifestação da sabedoria e a liderança na Terra. O Planeta da Transformação, Plutão, passa para Capricórnio e não transitará de volta ao seu trânsito por Sagitário novamente. Esse ciclo já está completo e finalizado; o novo ciclo será o da manifestação da Nova Realidade no Planeta.A Lua Nova em Capricórnio em 27 de Dezembro será o momento ideal para refletir sobre as “sementes” para o seguinte ciclo de Manifestação e Aventura que se inicia em 2009!Queridos, nós aqui nas Dimensões Angélicas os cumprimentamos por seu trabalho bem feito; que possam desfrutar da Luz Dourada do Amor em suas vidas durante este mês de Alegria e Mudança. Que a Aventura possa continuar e que possam entrar nos Profundos Desejos e Sonhos de Amor que suas Almas desejam expressar na Nova Terra!--------------------------------------------------------------------------------Tradução: Silvia Tognato Magini silvia@starchildglobal.com© 2008-9 Celia Fenn e Starchild GlobalEste trabalho é licenciado sob a Creative Commons License.Você é livre para copiar, distribuir, exibir e executar a obra, sob as seguintes condições: Você deve dar crédito ao autor, não poderá utilizar este procedimento para fins comerciais, e você não pode alterar, transformar ou basear - se neste trabalho. Para qualquer reutilização ou distribuição, você deve deixar claro para outros os termos da licença deste trabalho. Qualquer uma destas condições podem ser derrogadas se você obter permissão do detentor dos direitos autorais. Qualquer outra finalidade de utilização deve ser concedida autorização pelo autor."

domingo, novembro 30, 2008

MOMENTOS


Momentos

Existe um momento
Em que tudo vira
Magia.
Existe um momento
Em que o nada
Seja tudo.
Existe um momento
Em que as sombras
Do passado
Viram raios de sol
Existe um momento
Em que percebemos
Em que sentimos
Em que ouvimos
Em que vemos
Com todo esplendor
A verdadeira beleza
Do ser.

terça-feira, novembro 25, 2008

BASTA DE VIOLÊNCIA CONTRA AS MULHERES


Basta de violência contra as mulheres.

Várias vezes durante a minha infância, eu testemunhei uma vizinha ser agredida pelo marido. Eram gritos, móveis quebrados, as crianças chorando. Pelo menos uma vez por semana essa situação se repetia. No decorrer dos anos, o marido agressor teve um derrame e essa enfermidade o levou a morte. A esposa agredida contraiu e potencializou um câncer vindo a falecer. Na minha adolescência, assisti o casamento de uma amiga desmoronar, pois seu jovem marido decidiu se livrar dos móveis e de suas neuroses agredindo e torturando a esposa. Leio freqüentemente nos jornais, casos e mais casos de mulheres que são agredidas, humilhadas e torturadas violentamente. Situações como essas ocorrem em todas as partes do mundo. Eu me pergunto o que é possível fazer para que essas agressões terminem. Penso, penso e acredito que a solução terá que vir da própria mulher. Somos agredidas, física, mental e espiritualmente. A imagem de que Eva foi à traidora do paraíso persegue todas as mulheres. Não somos Eva no sentido de traidoras, somos mulheres, seres intuitivos, companheiras, inteligentes e fortes. Necessitamos de companheiros saudáveis, não homens loucos, agressivos que tentam curar seus problemas mentais, agredindo as mulheres de todas as formas possíveis. Para que se reverta à situação de agressividade, temos que trabalhar nossa auto-estima. Temos que saber e sentir que valemos muito. Temos que saber e sentir que somos capazes de ter uma vida rica, justa, feliz e saudável sem que para isso seja necessário sofrer. Nem uma mulher precisa de um homem que a sustente. Nem uma mulher precisa de um homem que realize seus desejos. Nós somos capazes de comprar tudo o que queremos, somos capazes de prover nosso sustento. Quando buscamos parceiros, buscamos homens saudáveis, companheiros e não homens impotentes, fracos, que necessitam mostrar seu valor em cima da desgraça feminina. O amor é um sentimento forte e poderoso. A mulher que se ama e se respeita não aceita ser maltratada. Não coloca sua integridade em risco. Para todas as mulheres que estão na luta do dia-a-dia, estão se descobrindo e foram ou são agredidas, procurem ajuda. Busquem terapia, polícia, órgãos governamentais, ONGs, grupos de auto-ajuda, reajam, lutem, denunciem, mas terminem o ciclo tenebroso de agressão. O amor maior deve ser trabalhado primeiro em nós mesmos. Quem se ama não aceita agressão. Aceita respeito, companheirismo e diálogo. A vida esta em constante movimento. Não precisamos controlar o mundo, mas temos sim, que mostrar para nós mesmos que merecemos tudo de bom que o mundo possa nos oferecer, como por exemplo, uma vida feliz e digna. Basta de violência.

domingo, novembro 23, 2008

O LOUCO




O louco...

Perguntais-me como me tornei louco.

Aconteceu assim:Um dia, muito tempo antes de muitos deuses terem nascido, despertei de um sono profundo e notei que todas as minhas máscaras tinham sido roubadas as sete máscaras que eu havia confeccionado e usado em sete vidas e corri sem máscara pelas ruas cheias de gente, gritando:"Ladrões, ladrões, malditos ladrões!"Homens e mulheres riram de mim e alguns correram para casa, com medo de mim.E quando cheguei à praça do mercado, um garoto trepado no telhado de uma casa gritou:-- "É um louco!"Olhei para cima, pra vê-lo. O sol beijou pela primeira vez minha face nua.

Pela primeira vez, o sol beijava minha face nua, minha alma inflamou-se de amor pelo sol, e não desejei mais minhas máscaras. E, como num transe, gritei:"Benditos, benditos os ladrões que roubaram minhas máscaras!”Assim me tornei louco.

E encontrei tanto liberdade como segurança em minha loucura: E a segurança de não ser compreendido, pois aquele desigual que nos compreende escraviza alguma coisa em nós.

Gibran Khalil Gibran

segunda-feira, novembro 17, 2008

Novos ventos - Obama promete sair do Iraque e fechar Guantánamo para restaurar moral dos EUA


Novos ventos - Obama promete sair do Iraque e fechar Guantánamo para restaurar moral dos EUA

Leio hoje com satisfação no Google noticia que Barack Obama, presidente eleito dos Estados Unidos, prometeu no domingo à noite a retirada das tropas do Iraque, o fim da Al-Qaeda no Afeganistão e o fechamento do centro de detenção de Guantánamo, em uma ruptura com a política externa de George W. Bush.
O democrata Obama afirmou que cumprirá as promessas eleitorais, muitas delas recebidas com satisfação pelos aliados dos Estados Unidos, mas não se aprofundou em como concretizará as medidas, em sua primeira grande entrevista depois de ter sido eleito, no programa "60 Minutes" do canal CBS. Essa é uma grande notícia. Após o fracasso de seu antecessor em manter uma guerra totalmente injusta e baseada em falsas afirmações, poderemos, nós, o mundo respirar novamente os ventos das mudanças. Nos últimos quatro anos, George W, Bush consegui transformar os Estados Unidos da América em o país mais odiado do mundo. Através de uma política totalmente ineficiente criou a grande crise global afetando todos os continentes. Todos sabem da forma poderosa que os Estados Unidos interferem na cultura de vários países, porém nos últimos anos essa situação passou para insustentável. Barack Obama foi eleito com base em promessas que o mundo desejava ouvir. Não será fácil executar a reconstrução do país, pois assim como o Iraque, ele também foi destruído. Quanto a Guantánamo, é um dos maiores pilares de desrespeito aos direitos humanos. A declaração universal nessa prisão jamais teve voz ativa. Muito trabalho tem que ser feito. A política Americana para países da América Latina tem que ser repensada. Mas uma coisa é muito certa – O primeiro passo já foi dado e sabemos que tudo inicia com apenas um primeiro passo.

domingo, novembro 16, 2008

Vivo Em Dois Mundos


Vivo em dois mundos
Meu primeiro mundo
É bonito.
Cheio de compreensão
Auxilio,
Beleza.
Meu segundo mundo
É competição
Dificuldades
Tristeza.
Pensei que pudesse
Transformar
Meu segundo
Mundo em
Meu primeiro
Mundo.
Hoje, porém,
Vejo que
Eu estou
Fora de
Qualquer
Mundo.

sexta-feira, novembro 14, 2008

Somos Todos Condutores de Energia



SOMOS TODOS CONDUTORES DE ENERGIA





por Bernardino Nilton Nascimento - bernardino.nascimento@promon.com.br



A água é o mais importante regularizador de energia no balanço energético da Terra. A energia pode ser transferida entre corpos e pode ser transformada em outras formas de energia; mas, não se cria e nem se destrói energia; podemos apenas transformá-la para o bem ou para o mal. A água funciona como sobrecarga natural e sua resistência acontece em todos os sentidos. O corpo humano é composto de 70 a 75% de água. Na média, essa proporção é idêntica à proporção entre terras emersas e águas na superfície do planeta Terra. Estranha coincidência. Melhor não tirar nenhuma conclusão. O percentual de água no organismo humano diminui com a idade: entre 0 e 2 anos é de 75 a 80%; conforme o avanço da idade este percentual vai diminuindo chegando a atingir entre 40 e os 60 anos de 50 a 58% 60. A seiva parece diminuir ou ficar mais concentrada. Acima de 60 anos, o humano segue sua desidratação. É como se, nos idosos, metade da existência fosse água e o resto, sólido. A água circula pelo corpo humano como nos ecossistemas. Muitos se preocupam em não poluir os rios. A poluição também chega às veias e artérias em conseqüência de uma alimentação inadequada, da absorção de drogas. Podemos concluir que o corpo pode armazenar com facilidade todo tipo de energia, assim como pode transmitir. Como nos rios, esta água pode ser poluída causando doenças em seu próprio corpo como transmitir ao próximo. Também está claro que podemos despoluir o nosso corpo e curá-lo com a transmissão de uma outra energia purificando o condutor fazendo mais livre a circulação do espírito. Com uma alimentação balanceada e muita água, podemos evitar muitas doenças causadas pelas toxinas que se armazena no corpo. Os sentimentos de raiva, rancor e ódio e outros causam danos ao espírito desequilibrando vida, causando diversas doenças. Porém, podemos purificar o corpo com a chamada medicina alternativa já usada há milhares de anos e que agora está de volta mais aprimorada e com grande procura no mundo todo. Devido à necessidade de elevação do ser humano. Existem varias técnicas de transferência de energia que purificam a água do corpo e, naturalmente, curam doenças. As técnicas do Reiki, Passe, Johrei, Meditação, Cristais, Florais e outras ajudam a purificar a água do corpo, fazendo circular com mais agilidade o espírito dando mais intuição e mais saúde. Podemos também analisar que o nosso espírito é pura energia que circula em nosso corpo através da água que é sua condutora. Pelas nossas idades é que vamos perceber como nosso espírito está mais presente. Porém, quando vamos ficando com mais idade, menos água no corpo, mais vulneráveis ficamos. Então, quanto mais água bebermos melhor para nossa saúde e mais forte fica nosso espírito retardando até o envelhecimento. As plantas medicinais também realizam limpeza do corpo curando doenças de difícil tratamento pela medicina química. Temos grandes vantagens com a medicina alternativa além da cura: os rios internos purificados evitam a volta das doenças como também evitam outras. A medicina alternativa trata com remédios sem contra-indicação. Seja qual for a sua escolha do tipo de medicina alternativa não se esqueça da fé que é a sua vontade da cura. Nosso corpo também é munido pela força da vontade que faz o papel do filtro por onde circula, e onde fica mais armazenada, a água.E para saber o estado do filtro purificador é só ver o tamanho da sua fé. Por isso devemos recorrer a outras técnicas para auxiliar o filtro que vem a ser também fortalecido para manter o corpo sadio. Porém o mais importante nesse condutor é que já que somos mais energia e estamos interligados uns aos outros por diversos tipos de energias, quando olhamos para alguém com carinho estamos transmitindo amor a mais poderosa energia. Assim, quando passamos amor para uma pessoa, na verdade estamos passando para muitas outras e isso vai desobstruindo os caminhos até você encontrar alguém que, sem saber, foi purificado com sua energia e, quando menos espera, aparece alguém do nada que vem ajudá-lo como um anjo. Podemos afirmar que muitas coisas já foram comprovadas cientificamente, além dos depoimentos de pessoas em todo o mundo. Então, não perca tempo em desejar a felicidade do próximo, olhe o próximo com carinho... com amor.


Os altruístas cuidam do seu corpo mantendo sua água cristalina e ajudam a purificar o corpo do próximo.,-- Consulte não a seus medos, mas a suas esperanças e sonhos. Pense não sobre suas frustrações, mas sobre seu potencial não usado. Preocupe-se não com o que você tentou e falhou, mas com aquilo que ainda é possível a você fazer.(Angelo Giuseppe Roncalli - Papa João XXIII)

segunda-feira, novembro 10, 2008

Reconhecendo um poeta.

Reconhecendo Um Poeta
Para meu querido amigo Muhsin Al- Ramli
Quando um poeta nasce, seu coração não esta coberto por pele,
nem guardado dentro do peito.
O coração de um poeta esta exposto
ao sentimento
a dor
ao choro
a alegria
a felicidade
a tristeza
e muitas outras sensações.
Um autentico poeta não é feliz.
Ele sente através desse órgão
primordial que vibra,
as misérias do mundo.
É fácil reconhecer um verdadeiro poeta -
É só olhar o seu peito
e verá um coração que sangra.
Fátima Pacheco

sexta-feira, novembro 07, 2008

Apaixonados

Apaixonados

Os apaixonados são tolos aos olhos do mundo
Fazem coisas estúpidas
Cantam nos momentos mais inadequados
Sorriem apesar de toda tristeza ao seu redor
Exalam felicidade.
Brigam pelo ser amado.
Enfrentam guerras
Superam desafios.

Os apaixonados são tolos aos olhos do mundo
São loucos
Imprevisíveis
Irracionais
Lunáticos.
Conseguem ver cores onde
Existe apenas o cinza.

Os apaixonados são tolos aos olhos do mundo
Mas são eles que dão vida, esperança e fé
A esse mundo de tolos.

terça-feira, outubro 28, 2008

Mudanças


O ano de 2008 esta chegando ao final. Foi um ano muito difícil para muitas pessoas. Bem, todos os anos apresentam um grau de desafios para todos os indivíduos, mas particularmente este eu vi morte de pessoas próximas, tristeza e muita dor. A razão não é certamente o ano em si, mas a forma como as pessoas conduziam suas vidas. Hoje eu pensava no arcano XV do tarô, a torre. Essa carta representa destruição. Nós, humanos estamos em processo de destruição. Destruímos o meio ambiente, destruímos relações pessoais, destruímos a possibilidade de uma vida melhor. Para alguns, nós estamos destruindo dia-a-dia todas as soluções possíveis de melhorar a qualidade de vida. No entanto, eu penso que nunca estivemos tão próximos de melhorarmos interna e externamente como agora. Tivemos guerras dolorosas, longas, colapsos financeiros que envolveram todos os povos. Nossos valores e padrões pré-concebidos estão caindo por terra tal como a Torre do tarô. Os valores disseminados por uma sociedade capitalista não servem mais. Os Estados Unidos gastaram milhões de dólares na manutenção de uma guerra estúpida, assassinaram milhões de pessoas na busca pelo petróleo, pelo poder. Como grande resultado, através de suas ações afetaram todo planeta. Em casos pessoais, alguns indivíduos insistiram em manter por anos uma postura de soberba e orgulho, enraizaram mágoas, ressentimentos. Ficaram presos a conflitos que cedo ou tarde se tornariam eminentes. A torre ruiu porque o planeta, o indivíduo, chegou ao seu limite. Mudanças são necessárias para que o fluxo da natureza se harmonize. Concessões serão prioritárias. Para os próximos anos a humanidade caminha buscando novos paradigmas. Ser e Ter. Eu faço parte desse contexto, a torre também caiu aos meus pés e como todos os demais também terei que reconstruir. A construção principal não será por uma nova torre de pedra, valores, dinheiro, poder, mas sim por uma reconstrução honesta, de análise, conhecimento. Seria muito bom se pensássemos na frase de Carl Marx – “Tudo que é sólido desmancha no ar”.

sexta-feira, outubro 24, 2008

Seja Paciente

Seja paciente com tudo o que ainda não esteja resolvido no
seu coração, e tente amar os próprios problemas como se
fossem salas fechadas, livros escritos numa linguagem muito desconhecida.
Não procure por resposta que ainda não poderiam
lhe ser dadas, porque você não seria capaz de vivê-las.
Procure, sim, viver tudo.
Viva os problemas agora e talvez então,
gradualmente, sem perceber, algum dia você seja levado em
direção às respostas.
( desconheço a autoria)

segunda-feira, outubro 20, 2008

Falando um Pouco de Política - Porto Alegre, Eleições 2008, Reta Final


Há muitos anos em minha adolescência, fui aluna do curso pré-vestibular Universitário. Foi ali que conheci José Fogaça, que dava aulas de literatura. Na época ele havia sido colocado na Assembléia Legislativa por uma imensa votação de estudantes, principalmente secundaristas. Ainda estávamos no Regime Militar. José Fogaça era considerado um pensador. Já Maria do Rosário soube da sua fama através de uma líder comunitária de uma vila aqui na capital, muito tempo depois. Maria do Rosário teve uma votação maravilhosa na sua primeira candidatura à Câmara de Vereadores de Porto Alegre. Ao perguntar para essa líder porque Maria do Rosário teve uma votação tão expressiva, ela me respondeu – Maria esta sempre trabalhando junto conosco. Sempre na luta. Por isso o povo vota nela. Bem, no decorrer dos anos tenho acompanhado a trajetória desses dois candidatos a Prefeitura de Porto Alegre. Fogaça, relator de importantes projetos no Senado e Maria do Rosário, bem mais jovem, assumindo cada vez mais seu espaço.
Também quando cursava a faculdade de jornalismo da PUCRS, tive o privilégio de trabalhar como estagiária na primeira administração do PT com o então prefeito Olívio Dutra. Olívio é um homem dinâmico, olha nos olhos das pessoas que esta falando, é gentil, articulado, um político íntegro e se falo nele nesse momento é porque Maria do Rosário me lembra muito a postura de Olívio Dutra. A gestão desse prefeito foi repleta de mudanças significativas em nossa cidade. Maria também é dinâmica, articulada, trabalhadora, olha as pessoas nos olhos é honesta. Há três anos atrás, eu a encontrei na Redenção e lhe perguntei como estava à situação no partido frente a tantas denuncias e CPIs. Ela me respondeu que havia sido um ano muito difícil. Era difícil, mas necessário defender o governo federal. Bem, hoje vendo que o país evoluiu a cada dia percebo que ela estava muito certa.
Meu voto vai para Maria do Rosário, não que José Fogaça seja um mau político. Ele é bom. Porém Maria do Rosário tem o pique que essa cidade necessita. Se ela for eleita serão quatro anos de muito trabalho, de inúmeras reuniões e certamente muitas mudanças e realizações em Porto Alegre. As mulheres têm muita força, particularmente a trajetória política de Maria do Rosário prova isso.
O que queremos em nossa cidade? Essa é a grande pergunta que fica no ar. Quanto a mim eu respondo – quero que Porto Alegre figure no mapa Mundial. Quero mais escolas, quero mais obras, quero qualidade de vida. Com Maria do Rosário, tenho a certeza que meus desejos já estão se realizando.

domingo, outubro 19, 2008

Um Momento De Satisfação Pessoal



Na minha infância ouvia muitas histórias de Bagdá. Histórias das Mil noites, de Aladim. Em meus caminhos fiz contato com um poeta iraquiano radicado em Madri. Muhsin Al-Ramli, autor de vários livros e poemas publicados pelo mundo afora. Esse poeta leu alguns dos meus poemas, (um gênero literário) que pouco me dedico, e ele gostou. Reescrevi esses poemas para o espanhol e Muhsin os traduziu para o árabe. Minha grande surpresa e também satisfação foi quando esse autor me escreveu dizendo que minhas poesias tinham sido muito bem aceitas pela comunidade árabe. Para quem não sabe, poesias são muito admiradas e muito importantes para os árabes. Gostaria de dividir com todas as pessoas que visitam meu blog, esse pequeno momento de vaidade e sensação de ter cumprido uma pequena etapa do meu trabalho. Tenho essas poesias publicadas em espanhol em meu outro site – http://fpacheco5.blogspot.com e os sites em árabe são esses - http://www.mojz.com/inff - http://www.mojz.com/inff/news.php?action=show&id=372
http://www.adabfan.com/poetry/2228.html

sábado, outubro 04, 2008

Poesia Árabe

Autor – Muhsin Al- Ramli

Tradução – Fátima Pacheco

Não Libertem o Iraque de mim

Esta tinta derramado em sua imprensa

É o sangue do meu país.

Esta inundação de luz nas telas

É o brilho nos olhos das crianças de Basorá.

Esse que esta soluçando nas trevas do seu exílio

Sou eu;

Órfão depois de terem matado os meus pais: Tigre e Eufrates;

Viúvo depois de terem crucificado a companheira de minha alma: Iraque

Ah ... por ti, minha terra: crucificada entre as regiões.

Ai ... de vocês, senhores da guerra

Me escutem:

Não para a festa dos exércitos no telhado da minha casa.

Não ao carrasco que tenham plantado ou que irão plantar.

Não a sua liberdade de bombardear sobre as cabeças da minha gente

Não Libertem o Iraque de mim e nem eu dele.

Eu sou o Iraque.

Minha ervas são as letras e sei o que quero.

Deixe-me eu, a minha Rabeca e sua ausência.

Voltem para os seus filmes por trás do oceano.

Permitam-me que o que resta

dos minaretes, os mausoléus dos meus antepassados,

os túmulos da minha família ...

E bebam copos de petróleo até que vocês fiquem saciados.

Roubando o mel de enxofre e areia do deserto.

Leve seus clientes, com vocês.

Levem ao ditador com todas as partes de vocês que tenham comprado com o meu sangue.

Levem o que quiserem e marchem,

deixa-me só

abatido com os sonhos da minha irmã,

com a queima das palmeiras, nas margens da Mesopotâmia,

com os ossos do meu pai

Com o Chá e lanche.

Deixe-me só

com as canções tristes do Sul,

com a dança decepada do norte

e com o pavão real de Yasidíes.

Deixe-me só

Curando as feridas da minha terra Iraque

Apenas ...

Como Maria ...

Só com a minha solidão ...

Oh meu país: o crucificado entre as regiões.

Know how para animar a sua ressurreição.

Vocês saberão como se renasce de suas cinzas.

Vocês se esqueceram que ele é o criador da Phoenix?

Oh, inferno, para vocês chefes militares

Escutem-me:

Não assustem as nuvem em Bagdá com suas aeronaves.

Não semeiem soldados em nosso jardim.

Não tirem o cafetã de minha mãe.

Não. Não grite para libertar o Iraque de mim ou eu dele.

Eu sou o Iraque.

As aldeias têm florescido de meu abrigo, e sei o que quero.

Deixa-me eu, a minha família e o seu esquecimento.

Eu e os outros

Eu tenho um jasmim

E o macaco, uma camisa de seda

Tenho um copo de água para mim

E para a América, barris de petróleo

Eu tenho uma mãe

e um vizinho com jasmim na sua janela

E para você, bancos, torres e invejosos

Eu tenho asma e um cigarro

E vocês cobram impostos para o meu ar.

ESTÁTUAS

As estátuas estão no meio de fontes

E nós, no meio das cidades

no meio do mundo

Bem, se as estátuas são os nossos brinquedos

Brinquedos de quem somos nós?

E o que jogariam as estátuas

na nossa ausência?

E que fariam se nós andássemos

após desligar os jatos das fontes?

Após a chuva

Após a Chuva:

Sóis nas nuvens e córregos,

amêndoa doce e avelã,

dedos melados e pão quente.

Após a Chuva:

Minha mãe, meus irmãos

E a nossa casa de barro,

nossas pombas brancas.

Após a Chuva:

Arcos coloridos de paz,

sem braços, sem um presidente.

Após a chuva,

... depois da chuva.

Aniversário

O meu país é um bolo

E os mísseis são as velas

Os celebrantes são muitos

E o meu sangue é servido em copos

A casa é minha

E a minha família assassinada

Mas será que esta é a festa de aniversário de quem,

Caso você já tenha me matado

antes do meu nascimento?

A única mulher

Sou incapaz de confiscar seu relaxamento

Seus seios giram

para o outro lado.

Você é minha cúmplice em criticar este mundo e

você é feroz,

por isso eu tenho medo de te amar.

Não vou procurar o seu amor

apesar de que o meu amor te busca

e vou perguntar até o dia da minha morte:

Quem é você?

Estou com medo do seu amor,

Não vou procurar o seu amor

apesar de que o meu amor te busca,

mesmo que você seja aquela que eu amo.

terça-feira, setembro 30, 2008

A Arte através da poesia árabe de Muhsin Al-Ramli


A Beleza tem muitas formas. Ela é encontrada em qualquer lugar e se manifesta por imagens, sons, palavras, versos. A poesia é um dos traços do mundo árabe, prova disso pode ser constatado através da arte Muhsin Al-Ramli. Nascido no Iraque em 1967. Ele mora na Espanha desde 1995. Tem Doutorado em filosofia, filologia espanhol pela Universidade Autônoma de Madrid 2003, o tema de sua tese: Os traços da cultura islâmica em Don Quixote. É Tradutor espanhol de vários clássicos para o árabe. Das suas obras publicadas: Presente do próximo século (notícias) 1995. Em busca de um Coração Vivo (Teatro) 1997. Deixa distante do Tigre (notícias) 1998. Espalhando migalhas (Romance) 1999 Prêmio Arkansas (EUA) 2002 até a versão em Inglês: (Espalhando Migalhas). As felizes noites do bombardeio (de Narração) 2003. Somos todos viúvos das Respostas (Poesia) 2005. Dedos de dátiles -Título Original (Novela) 2008. Co-editor da revista cultural ALWAH. Atualmente é professor da Universidade Saint Louis, Madri.
Apesar das atribulações vividas pelo povo Iraquiano, Muhsin Al-Ramli encontrou na poesia a sua forma de protesto. Com versos que demonstram a sensibilidade da alma humana, ele transita pelo mundo ocidental levando a cultura árabe, através dos idiomas Espanhol e Inglês. Irei traduzindo futuramente, alguns dos seus poemas para o português. A beleza esta em todo lugar, principalmente nas palavras de Muhsin Al-Ramli.

A tristeza


É uma árvore espinhosa

que cresce no coração.

Cresce,

...cresce

e cresce,

até que ela cai

sua única fruta;

um cadáver apodrecendo

... isso é você.


NO a LIBERAR IRAK de MÍ


Esta tinta derramada en vuestra prensa

es la sangre de mi país.

Esta luz diluviada de vuestras pantallas

es el brillo de los ojos en los niños de Basora.

Éste que está sollozando en la oscuridad de su exilio

soy yo;

huérfano después de que hayáis matado a mis padres: Tigris y Eufrates;

Viudo después de que hubierais crucificado la pareja de mi alma: Irak

Oh... por ti, tierra mía: crucificada de entre las regiones.


Ay... de vosotros, señores de la guerra

Escuchadme:

No a la fiesta de los ejércitos en el tejado de mi casa.

No al verdugo que habéis plantado o al que vais a plantear.

No a vuestra libertad caída sobre las cabezas de mi gente en bombas

No a liberar Irak de mí o a mí de él.

Yo soy Irak.


Mis hierbas son las letras y sé lo que quiero.

Dejadme a mí mismo, a mi rabel y a vuestra ausencia.

Volved a vuestras películas detrás del océano.

Dejad para mí lo que queda

de los minaretes, de los mausoleos de mis ancestros,

de las tumbas de mi familia, ...

Y bebed de las copas del petróleo hasta que os saciéis.


Robad la miel del azufre y la arena del desierto.

Llevad con vosotros vuestros clientes.

Llevaos al dictador con cada parte de vosotros que ha comprado con mi sangre.

Llevad lo que queráis y marchad,

dejadme sólo

con lo derribado de los sueños de mi hermana,

con el incendio de las palmeras en las orillas de Mesopotamia,

con los huesos de mi padre

y el té de la merienda.


Dejadme sólo

con las canciones tristes del sur,

con la danza degollada del norte

y con el pavo real de los Yasidíes.

Dejadme sólo

curando las heridas de mi tierra Irak

Sólo...

igual que María...

sólo con mi solitario...

Mi país: el crucificado de entre las regiones.

Sabré cómo animar su resurrección.


Sabrá cómo renacer de su ceniza.

¿Acaso habéis olvidado que él es el creador del Fénix?


Ay, un infierno, para vosotros señores de la guerra

Escuchadme:

No asustéis a las nubes de Bagdad con vuestros aviones.

No sembréis soldados en nuestro jardín.

No quitéis la chilaba a mi madre.

No. Grito no a liberar Irak de mí o a mí de él.

Yo soy Irak.

Las aldeas han florecido de mi abrigo, y sé lo que quiero.

Dejadme a mí mismo, a mi familia y a vuestro olvido
.

domingo, setembro 28, 2008

Caixa Econômica Federal - compromisso social




A semana que passou foi anormal dentro de meus padrões pessoais. Resolvi colocar em prática algumas determinações. A abertura de uma poupança foi um dos objetivos. Poupar seria a palavra chave. Sou profissional liberal, não tenho um salário fixo, então decidi que a Caixa Econômica federal seria o banco perfeito para que eu começasse a cumprir a minha decisão. Fui até o banco, esperei pacientemente ser atendida. Estava bem tranqüila porque esse banco é um dos poucos que não exige uma quantia estipulada para abertura de contas. Mas qual não foi a minha surpresa quando a funcionária me informou que naquele estabelecimento eram necessários R$ 100,00. Eu argumentei com ela que estava bem claro no site da caixa que não havia uma quantia fixa para abertura de poupança. Ela, em contra partida me informou que naquela agencia havia a necessidade de ter no mínimo R$ 100,00 para abrir uma poupança. Levantei da cadeira um tanto decepcionada, pois após muito tempo para pensar e decidido tomar uma atitude, não conseguiria levar adiante minha decisão por não ter naquele momento a quantia solicitada pelo banco.
Num primeiro instante, pensei em ir embora, mas mudei de idéia, a caixa é um banco popular e decidi falar com o gerente. Disse a ele o que constava no site da caixa e gostaria de saber por que aquela agencia estava agindo de forma diferenciada das demais. Em toda a semana, essa foi à melhor idéia que eu tive, pois o gerente de relacionamento me levou até o gerente geral, onde fui tratada com a máxima cortesia obtive todas as explicações. Uma delas era que não havia necessidade dos R$ 100,00 para abertura de conta poupança, mas sim, eles costumavam sempre entrevistar os futuros clientes pelo número cada vez mais crescente de “laranjas”, em função dos crimes virtuais que surgiam diariamente. Fui informada sobre isso e muito mais coisas do funcionamento do banco. Saí completamente satisfeita do estabelecimento.
Eu poderia ter ido embora simplesmente acatando uma determinação que considerava injusta. A maioria das pessoas faz isso. Porém a maioria das pessoas esquece que os serviços públicos foram criados para atender pessoas como eu e você. A caixa, mais do que loterias, incentivos ao esporte, financiamentos, foi idealizada para atender a imensa população brasileira. Seja na Caixa Econômica Federal, seja no SUS ou qualquer outro serviço dedicado ao povo brasileiro, temos que conversar reclamar, cobrar atitudes quando achamos necessários. Pagamos muitos impostos. Merecemos ter um serviço de qualidade. Ao conversar com a gerência, percebi que conversando nos entendemos. Eu, você, temos que ser respeitados e orientados quando necessário, e a gerência dos órgãos estatais somente poderão oferecer ao cidadão serviços de qualidade desde que eles saibam por que estamos reclamando.

terça-feira, setembro 23, 2008

ESCUTE A VOZ


Escute a voz que vem de dentro.
Felicidade não vem dos outros vem de você.
Só você tem o dom de transformar sua vida, se está esperando outras pessoas mudarem, fazer ou trabalharem para sua felicidade,vai esperar eternamente; porque felicidade é obra somente sua.
Tudo que é valioso vem de dentro.
A pérola está dentro da concha.
O ouro está guardado dentro da terra ou dentro da água.
O valor do livro está dentro das páginas.
O tesouro está protegido dentro do cofre.
Por que o reino do céu está fora? Fora de nós?
O reino do céu está dentro de nós. Buscamos ser feliz por fora: queremos aquela carreira profissional, queremos aquele homem (ou mulher); desejamos possuir um belo físico, almejamos o carro do ano ( mais moderno que dos amigos); queremos a roupa mais vistosa e , se possível, com marca famosa; fazemos de tudo para sermos o mais popular entre os amigos...BUSCAMOS A FELICIDADE POR FORA DE NÓS.
Por isso somos tão infelizes. Ninguém pode fazer o outro feliz, só ele mesmo. Não faça promessas impossíveis: "benzinho, farei você muito feliz". É muita responsabilidade. Podemos compartilhar felicidade com outra pessoa e não trabalhar dentro dela porque isso é obra individual. Nem Deus mexe com o interior do homem.
Cada criatura é um universo único.
Não queira ser igual ao outro.
Não queira copiar o outro, o que ele veste, o que ele faz ou o que ele fala.
Seja você mesmo. Não copie.
Não se prenda com as opiniões dos outros.
Se você acha que é assim diga :"eu acho assim".
Não se preocupe com as opiniões de fora , se preocupe com a sua opinião (dentro de você).
Claro que se fizer algo errado ou que ofende ou machuque, procure se corrigir.
Há leis que temos que respeitar, leis humanas e divina. Seja sincero, se não quer ou não gosta de algo, diga: "não gosto".
E se ouviu algo que não gostou , não se sinta infeliz.
Não ligue. Não ligar é não se deixar ofender, magoar.
Não é o outro que fez você se magoar, é você que se deixou magoar ou ofender.
Você é que escolhe o que vai sentir e não a outra pessoa.
Os outros não mexem em nosso sentimento, só nós.
Eles estão fora, nós estamos dentro.
Não se envergonhe daquilo que sentiu.
Sentir é humano, só as pedras não sentem raiva, orgulho, vaidade, amor e alegria.
Procure conhecer o grau dos seus sentimentos e assim, seja senhor deles e não escravo.
Não reprima aquele sentimento que o faz se envergonhar, eduque-o.
Reprimir um sentimento é reprimir todos.
E repressão traz doenças na alma.
Assuma seus erros e se perdoe.
Os erros são nossos professores particulares , sem eles não evoluímos.
Lembremos que os inimigos estão dentro de nós e não fora.
Quanto aos erros do passado ou do presente, não nos amarremos neles.
Devemos assumir nossos erros e não colocar nas costas alheias. Carma não é castigo, é lição não aprendida. Até os Grandes Mestres da humanidade erraram em seus passados e a diferença é que não pararam de caminhar.

O erro leva-nos ao acerto e o acerto nos leva a evolução.
Outra coisa importante é sobre o apego. Não nos apeguemos as coisas, às pessoas ou situações. Um dia as coisas serão transferidas para outros "donos", as pessoas partirão e as situações se modificarão.
Nada está parado no universo. Os que param, estacionam.

Mudança é progresso.
As pessoas nascem sozinhas, morrem sozinhas e sozinhas viajam pela eternidade.
Não fique na dependência do outro, deixe o outro livre para crescer também.
Cada viajante carrega a sua própria mala e esta mala se chama experiência.
A experiência é individual.
Não fique preso as coisas de fora.
Ouçamos a voz que chama e ela está no nosso universo interno.
Essa voz está nos convocando para entrar dentro de nós e nos pergunta : quem somos? (temos que saber a resposta).
Ligue-se consigo antes de se ligar às outras pessoas, a solidão que está reinando em toda humanidade nos dias atuais veio, justamente, para facilitar esse conhecimento.
Quando estamos em lua-de-mel com nossos amores, amigos efamilia não temos tempo para entrar no nosso reino do céu.

O tempo urge e a urgência do auto-conhecimento do homem é para fazê-lo NASCER.

O nascimento é de dentro para fora."CONHECE-TE A TI MESMO"

Quem és?

De onde vens?
Para onde vais?
Miryã Kali / MLucia( As palavras ,do texto acima, foram baseadas na palestra do médiumFrancisco do Espírito Santo Neto, com a orientação do espíritode Hammed ). Com algumas modificações e acréscimos ).Livros de Hammed : "Renovando Atitudes", "As dores da Alma ","Os prazeres da Alma", "A Imensidão dos Sentidos"

quinta-feira, setembro 04, 2008

Frase Para a Vida




"Dai-me Senhor, a perseverança das ondas do mar, que fazem de cada recuo um ponto de partida para um novo avanço."

terça-feira, agosto 26, 2008

Aprenda a escrever na areia

de Malba Tahan -
Dois amigos, Mussa e Nagib, viajavam pelas longas estradas que recortam as montanhas da Pérsia. Eram nobres e ricos e faziam-se acompanhar por servos, ajudantes e caravaneiros.
Chegaram, certa manhã, às margens de um grande rio barrento e impetuoso. Era preciso transpor a corrente ameaçadora. Ao saltar, porém, de uma pedra, Mussa foi infeliz e caiu no torvelinho espumejante das águas em revolta. Teria ali perecido, arrastado para o abismo, não fosse Nagib. Este, sem a menor hesitação, atirou-se à correnteza e livrou da morte o seu companheiro de jornada. Que fez Mussa?
Ordenou que o mais hábil de seus servos gravasse na face lisa de uma grande pedra, que ali se erguia, esta legenda admirável:
Neste lugar, com risco da própria vida, Nagib salvou, heroicamente, seu amigo Mussa.
Feito isso, prosseguiram, com suas caravanas.Cinco meses depois, em viagem de regresso, encontraram-se os dois amigos naquele mesmo local perigoso e trágico. E, como estivessem fatigados, resolveram repousar à sombra acolhedora do lajedo que ostentava a honrosa inscrição. Sentados, pois, na areia clara, puseram-se a conversar. Eis que, por motivo banal, surge, de repente, grave desavença entre os dois companheiros.
Discordaram. Discutiram. Nagib, exaltado, num ímpeto de cólera, esbofeteou brutalmente o amigo.
Que fez Mussa?Que farias tu, em seu lugar?
Mussa não revidou a ofensa. Ergueu-se e, tomando tranqüilo o seu bastão, escreveu na areia, ao pé do negro rochedo:
Neste lugar, por motivo fútil,Nagib injuriou, gravemente, seu amigo Mussa.
Surpreendido com o estranho procedimento, um dos ajudantes de Mussa observou respeitoso:
-Senhor! Da primeira vez, para exaltar a abnegação de Nagib, mandastes gravar, para sempre, na pedra o feito heróico. E agora, que ele acaba de ofender-vos tão gravemente, vós vos limitais a escrever na areia incerta o ato de covardia! A primeira legenda, ó meu mestre, ficará para sempre.
Todos os que transitarem por este sítio dela terão notícia. Esta outra, porém, riscada no tapete de areia, antes do cair da tarde terá desaparecido como um traço de espuma entre as ondas buliçosas do mar.
-A razão é simples - respondeu Mussa. O benefício que recebi de Nagib permanecerá, para sempre em meu coração. Mas a injúria... essa negra injúria... escrevo-a na areia, como um voto, para que, se depressa daqui se apagar e desaparecer, mais depressa ainda desapareça e se apague de minha lembrança
!

segunda-feira, maio 12, 2008

Retratos urbanos


RETRATOS URBANOS REÚNE CRÔNICAS DE 46 NOVOS AUTORES

Eu participo desse trabalho através de uma das minhas crônicas. Leiam abaixo o release.

Décima sexta antologia da Andross Editora, a terceira só este ano, chega às livrarias no final do mês.

A crônica surgiu no início da era cristã, não como um gênero literário, mas sim como uma forma de ordenar os acontecimentos, sem aprofundá-los ou tentar interpretá-los.

Com o passar dos séculos, autores foram acrescentando, a esta visão impessoal dos fatos, elementos que, hoje, se tornaram uma espécie de marca registrada da crônica literária: o humor irônico, a linguagem ágil, a perspectiva em primeira pessoa, a visão pessoal das cenas do cotidiano.

Retratos Urbanos (Andross Editora, 160 páginas, R$ 25,00) reúne 47 crônicas escritas por 46 autores em início de carreira e organizadas por Edson Rossatto, editor da Andross.

As histórias relatam fatos que supostamente aconteceram com os autores e, num processo de identificação típico deste gênero, encontram eco nas memórias dos leitores, que já se depararam com situações pelo menos semelhantes: a indignação que antecede um exame de toque retal, as divagações do motorista parado no trânsito congestionado, a saudade do tempo dos bondes elétricos.

Retratos Urbanos é mais uma antologia da Andross Editora com textos inéditos de novos autores, que encontram neste formato uma oportunidade de publicar suas histórias. Foram analisadas 250 obras de autores de vários estados brasileiros, durante quase um ano, até se chegar aos 47 selecionados.

Esta é a 16ª antologia que a Andross lança em seus mais de três anos de mercado, a terceira somente neste ano. Por este sistema, a editora já publicou mais de 600 autores, de 14 a 68 anos, do ensino médio ao doutorado, amadores e profissionais. Alguns dos que estrearam nas antologias da Andross hoje já têm obras publicadas individualmente por outras editoras.

TRECHO:
Aqui estou, em um pub inglês de Ipanema, tomando uma maldita cerveja de treze reais e espreitando a ruiva que – eu julgava – estaria dando mole para mim. A frase acima contém uma série de incongruências que convém serem analisadas separadamente. Um pub irlandês em Ipanema, no quarteirão da praia. Em vez de as pessoas irem à praia, a um quiosque ou que o valha, vão a um recinto abafado, onde a fumaça de cigarro estaciona preguiçosamente sob o teto baixo, as cadeiras desconfortáveis estão sempre tumultuando a passagem e uma estante de livros tem edições antigas de Joyce, como se alguém no mundo afora, meia dúzia de freaks lesse Joyce. Outra incongruência era a cerveja de treze reais. Cerveja! Treze reais! Não vou perder tempo desenvolvendo.
“Coadjuvante”, de Pedro Vieira

Sobre a Andross Editora
Com mais três anos de mercado e 25 títulos publicados, a Andross Editora nasceu no campus da Universidade Cruzeiro do Sul, em São Paulo, para abrir espaço aos alunos que não tinham condições de publicar seus primeiros textos. Iniciou as atividades com obras acadêmicas, cresceu e se manteve graças a um modelo de negócio diferenciado: a publicação de antologias. Até hoje, a editora já lançou 16 livros deste tipo, e está com inscrições abertas para mais 4 até o final do ano.

LANÇAMENTO

RETRATOS URBANOS - CRÔNICAS
Vários autores – Organização: Edson Rossatto

DATA: 17 de maio
LOCAL: Casa das Rosas – Avenida Paulista, 37 – São Paulo – SP
HORÁRIO: das 16h às 19h
Informações: www.andross.com.br


Mais informações para a imprensa:
ANDROSS EDITORA
Edson Rossatto
Contato pelo telefone: (11) 2943-7687
edson@andross.com.br
Maio 2008

sábado, abril 26, 2008

Mensagem do Dia - Fé


" A fé é uma atitude de confiança, um sentimento poderoso que põe as forças do céu à disposição do homem. É preciso compreender que este poder não vem de fora, vem de dentro e não está ligado ao intelecto. A fé vem na frente e as especulações do intelecto vêm atrás. A fé nos faz descobrir a força interior, como superar dificuldades. Tem o poder real de curar física, mental e espiritualmente, mas, para se viver através dela é preciso ter um coração simples"
Desconheço a autoria.

sábado, abril 19, 2008

Kit de Sobrevivência

Autor desconhecido.
Boa noite, tudo bem com você?

O final de semana prolongado chegou. E agora? Vamos pensar no que fazer e preparar-se para a semana que vem? E então, tudo preparado? Mas para se preparar para este dia ainda o que falta? Encarar o fim de semana prolongado, e a semana nova que vem pela frente... você precisa de algum material de sobrevivência. Então se tranqüilize! Eu vou lhe apresentar um kit de sobrevivência para o dia-a-dia que tem praticamente tudo que você vai precisar para passar por esses dias.
Sabe , às vezes o fardo da vida pode parecer um pouco pesado, mas sempre vamos encontrar um jeito de carregá-lo até o final. Sempre teremos ao nosso lado alguém que poderá estender a mão e ajudar a subir uma ladeira. Quando tudo parecer perdido. Lembre-se de olhar para traz e ver que pode ter alguém numa situação um pouco mais difícil do que você. Então use o seu kit de sobrevivência e vamos encarar juntos, esta jornada, que não vai terminar logo após a curva da estrada. E nem vamos sair por aí, como desesperados, andando sem rumo. Pois para tudo há um jeito. Acredite. E você consegue... Ah... Não se esqueça! Faça bom uso do seu Kit de Sobrevivência para o dia-a-dia.
(Um texto de autoria desconhecida)
Compõem o KIT:
Vara de Pescar:Para lembrarmo-nos de pescar as boas qualidades dos outros;
Elástico:Para lembrarmo-nos de sermos flexíveis: as coisas nem sempre acontecem do jeito que queremos, mas no final dão certo;
Band-Aid: Para lembrarmo-nos de curar sentimentos magoados, nossos ou de outros;
Lápis:Para lembrarmo-nos de escrevermos as bênçãos e favores que recebemos todo dia;
Chicletes:Para lembrarmo-nos de que se nos esticarmos, podemos realizar qualquer coisa;
Apagador:Para lembrarmo-nos que todos erraram e tudo bem;
Cofre:Para lembrarmo-nos de que valemos uma fortuna para nossas famílias e amigos;
Saquinho de Chá:Para lembrarmo-nos de relaxarmos diariamente e repassarmos nossa lista de bênçãos;
Batom:(para as meninas)Para lembrarmo-nos de que todos precisam de um beijo e um abraço diariamente;
Pense nisso.

segunda-feira, março 10, 2008

Cirurgia de Lipoaspiração?

Herbert Vianna
" Pelo amor de Deus, eu não quero usar nada nem ninguém, nem falar do que não sei, nem procurar culpados, nem acusar ou apontar pessoas, mas ninguém está percebendo que toda essa busca insana pela estética ideal é muito menos lipo-as e muito mais piração? Uma coisa é saúde outra é obsessão. O mundo pirou, enlouqueceu. Hoje, Deus é a auto-imagem. Religião é dieta. Fé, só na estética. Ritual é malhação. Amor é cafona, sinceridade é careta, pudor é ridículo, sentimento é bobagem. Gordura é pecado mortal. Ruga é contravenção. Roubar pode, envelhecer não. Estria é caso de polícia. Celulite é falta de educação. Filho da puta bem sucedido é exemplo de sucesso.A máxima moderna é uma só: pagando bem, que mal tem? A sociedade consumidora, a que tem dinheiro, a que produz, não pensa em mais nada além da imagem, imagem, imagem. Imagem, estética, medidas, beleza. Nada mais importa. Não importam os sentimentos, não importa a cultura, a sabedoria, o relacionamento, a amizade, a ajuda, nada mais importa. Não importa o outro, o coletivo. Jovens não tem mais fé, nem idealismo, nem posição política. Adultos perdem o senso em busca da juventude fabricada.Ok, eu também quero me sentir bem, quero caber nas roupas, quero ficar legal, quero caminhar correr, viver muito, ter uma aparência legal mas...Uma sociedade de adolescentes anoréxicas e bulímicas, de jovens lipoaspirados, turbinados aos vinte anos não é natural. Não é, não pode ser. Que as pessoas discutam o assunto. Que alguém acorde. Que o mundo mude. Que eu me acalme. Que o amor sobreviva.
' Cuide bem do seu amor, seja ele quem for ' (Herbet Vianna)"
Recebi esse texto como sendo de autoria de Herbet Vianna. Adorei, é uma posição inteligente e que faria muito bem se as pessoas pudessem ler e repensar um pouco o que essa cultura da estética faz com o ser humano em potencial.

sexta-feira, março 07, 2008

Eu sei mas não devia

"Eu sei, mas não devia

Marina Colasanti

Eu sei que a gente se acostuma.Mas não devia.A gente se acostuma a morar em apartamento de fundos e a não ter outra vista que não as janelas ao redor. E porque não tem vista, logo se acostuma a não olhar para fora. E porque não olha para fora, logo se acostuma a não abrir de todo as cortinas. E porque não abre as cortinas, logo se acostuma a acender mais cedo a luz. E porque à medida que se acostuma, esquece o sol, esquece o ar, esquece a amplidão.A gente se acostuma a acordar de manhã, sobressaltado porque está na hora.A tomar café correndo porque está atrasado. A ler jornal no ônibus porque não pode perder o tempo da viagem. A comer sanduíches porque já é noite. A cochilar no ônibus porque está cansado. A deitar cedo e dormir pesado sem ter vivido o dia. A gente se acostuma a abrir a janela e a ler sobre a guerra. E aceitando a guerra, aceita os mortos e que haja números para os mortos. E aceitando os números, aceita não acreditar nas negociações de paz. E aceitando as negociações de paz, aceitar ler todo dia de guerra, dos números da longa duração. A gente se acostuma a esperar o dia inteiro e ouvir no telefone: hoje não posso ir. A sorrir para as pessoas sem receber um sorriso de volta. A ser ignorado quando precisava tanto ser visto. A gente se acostuma a pagar por tudo o que deseja e o que necessita. E a lutar para ganhar o dinheiro com que paga. E a ganhar menos do que precisa. E a fazer fila para pagar. E a pagar mais do que as coisas valem. E a saber que cada vez pagará mais. E a procurar mais trabalho, para ganhar mais dinheiro, para ter com o que pagar nas filas em que se cobra.A gente se acostuma a andar na rua e ver cartazes, a abrir as revistas e ver anúncios. A ligar a televisão e assistir a comerciais. A ir ao cinema, a engolir publicidade. A ser instigado, conduzido, desnorteado, lançado na infindável catarata dos produtos.A gente se acostuma à poluição. À luz artificial de ligeiro tremor. Ao choque que os olhos levam na luz natural. Às besteiras das músicas, às bactérias da água potável. À contaminação da água do mar. À luta. À lenta morte dos rios. E se acostuma a não ouvir passarinhos, a não colher frutas do pé, a não ter sequer uma planta.A gente se acostuma a coisas demais, para não sofrer. Em doses pequenas, tentando não perceber, vai afastando uma dor aqui, um ressentimento ali, uma revolta acolá. Se o cinema está cheio, a gente senta na primeira fila e torce um pouco o pescoço. Se a praia está contaminada, a gente só molha os pés e sua no resto do corpo. Se o trabalho está duro, a gente se consola pensando no fim de semana. E se no fim de semana não há muito o que fazer, a gente vai dormir cedo e ainda satisfeito porque tem sono atrasado. A gente se acostuma para não se ralar na aspereza, para preservar a pele.Se acostuma para evitar feridas, sangramentos, para esquivar-se da faca e da baioneta, para poupar o peito.A gente se acostuma para poupar a vida.Que aos poucos se gasta, e que, de tanto acostumar, se perde de si mesma."

Marina Colasanti nasceu em Asmara, Etiópia, morou 11 anos na Itália e desde então vive no Brasil. Publicou vários livros de contos, crônicas, poemas e histórias infantis. Recebeu o Prêmio Jabuti com Eu sei mas não devia e também por Rota de Colisão. Dentre outros escreveu E por falar em Amor; Contos de Amor Rasgados; Aqui entre nós, Intimidade Pública, Eu Sozinha, Zooilógico, A Morada do Ser, A nova Mulher, Mulher daqui pra Frente e O leopardo é um animal delicado. Escreve, também, para revistas femininas e constantemente é convidada para cursos e palestras em todo o Brasil. É casada com o escritor e poeta Affonso Romano de Sant'Anna.