sábado, maio 07, 2011

Feliz dia das Mães.

Alguns dizem que o dia das mães é uma data comercial. De certa forma é verdade, depois do natal, esse é o dia onde o comércio mais lucra. Um dia especial que deve ser coroado de presentes. As crianças fazem cartões, as escolas apresentam peças de teatro, tudo isso para homenagear as mães. As mães tem fama de abnegadas, sofredoras. Sinceramente acho isso uma grande mentira. Mãe não é abnegada e nem sofredora. Ela é um ser diferente. Ela tem prazer em ver o filho feliz, ela tem prazer de cuidar, de amparar, de amar, talvez as mães sejam simplesmente masoquistas. Eu questionava o papel das mães até ser mãe. Tive parto normal, dores, contrações. Quando olhei para a minha filha pela primeira vez, eu soube o que é verdadeiramente amar alguém. Na medida em que ela foi e esta crescendo me apaixonei ainda mais. Algumas vezes a minha memória não funciona mas sou capaz de lembrar cada olhar, cada sorriso, cada decepção no rosto da minha filha. Outras vezes tenho que me controlar para dar afeto sem ser dona. Isso é uma coisa que todos dizem - criar os filhos para o mundo e não para si. As mães são tradicionalmente ridículas, seus olhos dificilmente enxergam os filhos crescidos, para nós eles sempre serão crianças necessitadas de afetos e proteção. Noventa por cento dos filhos tem problemas com as mães. A culpa de tudo é da mãe, ela era assim, ela era assada. Uma coisa tão simples é compreender as mães, elas são divinamente contraditórias. Tentam se orientar pelo manual da psicologia, da vida e das emoções, tudo ao mesmo tempo. Uma mãe é tradicionalmente perita em intuições, intuição de mãe não falha porque ela é uma mistura de santa e bruxa. Claro que nesse mundo vasto existem mães de todos os tipos e modos. Tem até mesmo aquela mãe que abandona os filhos e ficam o resto da vida tentando preencher uma vazio existencial igual a um poço sem fundos. Mãe é um ser sensível, louca, grossa, protetora, possessiva mas que sabe amar como nenhum outro ser humano é capaz. Uma mãe entra em uma casa em chamas se tiver que salvar o filhos, derruba pontes, escala edifícios, doaria seus órgãos, faria qualquer coisa pelo fruto de seu ventre. Algumas pessoas podem discordar de muita coisa que escrevi aqui mas falando da minha experiência pessoal - eu não desejava ter filhos. Tive uma que é um presente dos céus. Quando a vejo, tenho que olhar bem duas vezes pra perceber que ela tem 20 anos e busca seu lugar no mundo e não 2,3,4 anos. Ela não é mais a minha garotinha. Não é? Claro que sim, sempre será a minha garotinha, meu bebê. Sou mãe, louca, algumas vezes grossa, outras, muito sensível e possessiva. Os filhos crescem aos olhos do mundo e não aos olhos das mães. Sou contraditória como todas as mães. São nossos filhos quem possuem a capacidade de nos ensinar a amar. Feliz dia das mães, uma data comercial mas e dai? No final é muito bom ganhar um abraço que é o verdadeiro presente de todas as mães.

Um comentário:

luzmar disse...

A melhor definição de mãe que ja vi: Santa e Bruxa! Como sempre, Fatima, você é muito feliz ao usar as palavras! Adorei o seu texto! Compartilhei! Bjs ce Luz!