terça-feira, julho 21, 2009

O Rio Grande do Sul sitiado pela corrupção do governo Yeda Crusius


O Estado do Rio Grande do Sul vive o pior momento político dos últimos tempos. Em pesquisa recente realizada pelo instituto Data Folha a avaliação do governo chegou ao número vergonhoso de 4.2. Toda essa situação motivou manifestações de vários setores, entre eles o CPERS. Um dos fatores que detonaram a avaliação da Senhora Yeda, governadora do RS foi às muitas denúncias de corrupção como a compra de uma casa com o caixa dois da campanha. A crise no estado é evidente apesar de tentativas de abafamento pelos grandes meios de comunicação. No dia 16 de julho, essa senhora foi acordada com protestos em frente a sua residência (aquela que, segundo denúncias, foi comprada com a verba de caixa dois). Em entrevista à Rádio Gaúcha, Yeda se mostrou indignada com a escolha do local do protesto pois mora com os netos na residência. As crianças de oito e 11 anos preparavam-se para provas na escola.
"Vocês não são professores. São torturadores de crianças", escreveu a Governadora em um cartaz, segundo disse em entrevista ao Gaúcha Atualidade. Foi à manifestação mais dura de Yeda em reação a servidores. A manifestação foi motivada pelo descaso do governo estadual com a educação. Rejane de Oliveira, presidente do CPERS, explicou que o ato foi para mostrar o contraste entre a casa de Yeda e escolas de lata. Rejane foi detida pelos brigadianos junto com outras três pessoas. O comandante geral da Brigada Militar, coronel Jose Carlos Trindade, garante que a manifestação extrapolou o limite do tolerável.
Após o incidente, o líder do PSDB divulgou uma nota culpando o Ministro Tarso Genro e sua filha, a deputada Luciana Genro como responsável pelas manifestações. Abaixo segue a resposta da Deputada ao Senhor José Aníbal, publicada na edição de Zero – Hora do dia 17 de julho de 2009.

Resposta da deputada Luciana Genro PSOL/RS
“Primeiro, é preciso dizer que o deputado José Aníbal é um desqualificado e não conhece nada da política gaúcha para dizer esse tipo de absurdo”. A primeira vez que ele disse isso, ele entrou contra mim no Conselho de Ética (da Câmara) e a representação foi rechaçada pelo corregedor, deputado ACM Neto (DEM/BA), e também rechaçada pela mesa diretora. Portanto, arquivada. Se tem alguém desautorizado atualmente na Câmara é o líder José Aníbal que não conseguiu emplacar nem na Corregedoria uma representação. Se realmente existe essa suposta conspiração entre eu e o Tarso contra a governadora Yeda, teria que incluir também o Lair Ferst, o vice-governador Feijó que é o DEM, o secretário de transparência que saiu do governo dizendo que não dá para implantar transparência, a viúva do Marcelo Cavalcante, a Polícia Federal e o Ministério Público Federal. É totalmente absurdo esse tipo de alegação. Tudo que eu tenho feito até hoje contra a governadora Yeda Crusius não tem nenhuma relação com interesses eleitorais. Tem relação com a minha função de fiscalização de deputada federal, que, aliás, a Assembléia Legislativa do Estado deveria estar cumprindo também. ’

E a situação continua sem uma solução.

Após as últimas manifestações terem perturbado o sono da governadora, dos seus netos, da sua filha, do cachorro, gato e periquito, a Brigada Militar resolveu intervir, tirou seus homens que trabalhavam no combate ao crime, para guardar a casa da governadora. A rua, onde mora essa senhora, antes pública passou a ser privada. Cada pessoa que chegue a rua tem que dar explicações. Não só isso, em eventos público, aproximadamente 200 homens do brigada são destacados para impedir qualquer manifestação. Nada que incomode a governadora.
Enquanto isso continua a escola de lata, o descaso com a educação, a corrupção, desvios de verbas não explicados, o silencio quanto ao caso do Detran, quanto a denuncias do empresário Lair fest. E mais todas as investigações da policia federal, ministério publico etc.
A governadora é a verdadeira torturadora de crianças, adultos, velhos e toda uma população do Rio Grande do Sul, mas ela não faz isso sozinha, os senhores deputados estaduais participam, faltam duas assinaturas para que uma CPI seja instalada, assinaturas dos Deputados do PDT, pois alguns deputados do PMDB também são acusados de denúncias. No entanto esses deputados se recusam a assinar, tem receio de represálias por parte do governo. Nessa hora me lembro de Leonel Brizola, ele deve estar se revirando no túmulo.


2 comentários:

daufen bach. disse...

Olá minha querida amiga!
aqui te visitando e lendo.
gosto da tua opinião critica,
desse senso de deve politico
que tu tens. É uma honra ser
amigo de pessoas assim.

Quero agradecer imensamente
as tuas plavras em meu blog
e dizer a ti que a admiro
muito também.

Desejo a ti um lindo fim de semana!

abraço terno a ti.

daufen bach.

Carlos Luz disse...

Olá gostei do teu blog.. me tornei um seguidor..
abraços...